sábado, 6 de junho de 2015

HÉRNIA DE DISCO: PORQUE A INFLAMAÇÃO PERSISTENTE DEVE SER COMBATIDA!



As hérnias de disco são muito comuns, mas apenas uma pequena parte delas produz um quadro de inflamação e dores persistente. É nesta pequena parte que um tratamento adequado deve ser aplicado para o rápido controle bioquímico local e promoção de uma cura real. Deixar de tratar estes casos é algo grave pois a inflamação persistente, ao contrário da inflamação fisiológica e autolimitada, causa agressões crescentes e risco de desenvolvimento de um quadro crônico, com um tratamento muito difícil e até mesmo sem solução, pelo grau avançado de lesão neural irrecuperável consequente. Quadros com dores persistentes por mais de três meses requerem muito cuidado quanto à escolha do tratamento, pois os tratamentos usados comumente, com analgésicos, antiinflamatórios, relaxantes musculares e exercícios de fisioterapia são não apenas inúteis, mas perigosos. O uso destes métodos terapêuticos pode trazer danos irreparáveis ao organismo sem qualquer vantagem no tratamento dos problemas do disco e nervos adjacentes.

A boa notícia é que a farmacologia moderna já dispõe de medicamentos altamente eficazes no tratamento destes quadros, e pode usar (1) medicamentos injetados diretamente no local da inflamação para um controle direto da alteração bioquímica persistente e mantida pela disfunção imunológica (humoral e celular) e (2) medicamentos orais para a recuperação lesões neurais.

Assim, diante de uma dor na coluna, procure o caminho certo!

Dr Henrique da Mota, MD, AFSA
Diplomado em Ortopedia e Traumatologia pela Université de Lyon – França.
Residência em Ortopedia no Hôpital Edouard Herriot - Lyon – França.
Residência em Cirurgia da Coluna Vertebral - Hôpital des Massues – Lyon – França.
Membro da Sociedade Francesa de Ortopedia e Traumatologia - SOFCOT.
Especialização em Cirurgias Mini-invasivas – Université de Bordeaux - França.
Especialização em Intervencionismo da Coluna – Université de Strasbourg – França.
Especialização em Neuroestimulação - Hôpital Pierre Wertheimer - Lyon - França.

Nenhum comentário:

Postar um comentário