quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O CENTRO MÉDICO DA COLUNA VERTEBRAL INFORMA:

Os distúrbios da coluna não são preponderantemente mecânicos, mas preponderantemente químicos, onde o processo mantenedor é a inflamação descontrolada, mas sem a participação de instabilidades, compressões ou deformidades. Nestas situações preponderantemente químico-inflamatórias, a solução é puramente química, com o controle da inflamação, sem necessidade de cirurgias.

No entanto, as inflamações, quando persistem muito tempo ou são de grande intensidade, podem causar danos teciduais (em nervos ou em outros tecidos, como os ligamentos, tendões, articulações). Entre estes danos, os mais preocupantes são aqueles que ocorrem nos nervos regionais. Desta forma, com o passar do tempo, é crescente o risco de uma situação de pura inflamação em nervos - o que já é preocupante - venha a se tornar uma lesão em nervos, com a corrosão da estrutura dos nervos. Isto é muito grave.

O mais grave é que esta situação de lesão neural é, frequentemente, causada por tratamentos comuns e de aparente inocência. Estes tratamentos são verdadeiras fábricas de doentes. Parece absurdo, mas os principais fatores ligados ao surgimento de lesões em nervos da coluna e cronificação de uma dor - que muito provavelmente passaria sozinha se nada fosse feito de errado - é o uso excessivo de medicamentos antiinflamatórios e analgésicos e a prática de fisioterapia, principalmente em modalidades como osteopatia, quiropraxia, trações mecânicas e todo tipo de máquinas que são usadas sem qualquer recomendação médica responsável.

O uso abusivo dos medicamentos, além dos conhecidos efeitos colaterais sobre o estômago, fígado e rins (no caso dos analgésicos e antiinflamatórios), além do grande potencial de dependência (como os morfínicos), além do risco de morte como causado por drogas com o Vioxx - verdadeiro escândalo sanitário moderno -, causa efeitos negativos diretos sobre um processo que, na quase totalidade, seria resolvido naturalmente: a inflamação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário