quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O CENTRO MÉDICO DA COLUNA VERTEBRAL INFORMA:

Diante das dores da coluna, as diversas técnicas de fisioterapia não possuem qualquer capacidade para ação sobre o complexo fenômeno imunoinflamatório que se instala numa lesão da coluna vertebral. De fato, elas não agem na causa da dor, mesmo que possam produzir um mascaramento passageiro produzindo uma ilusão de melhora. Algumas destas técnicas são adequadas para interferir nas atrofias, fraquezas, contraturas e demais distúrbios ligados às funções do movimento (distúrbios cineticofuncionais). O problema é que estas importantes funções não podem ser desenvolvidas em uma pessoa com inflamações ativas, pois estas inflamações ou impedem a aplicação correta das condutas ou produzem, através desta aplicação forçada, uma resposta paradoxal de aumento da dor. É muito comum o aumento de dores que já estavam sob controle após o início da realização destas técnicas. O problema não está propriamente nas técnicas, mas na sua realização precoce, antes da conclusão do tratamento do processo inflamatório e sem qualquer ordem médica. Só se deve encaminhar para realização destes diversos métodos auxiliares, os indivíduos que já estejam idealmente sem dores e com inflamações sob controle, para que possam se recuperar de suas limitações resultantes, depois do tratamento das patologias e doenças.

Infelizmente, isto não tem sido feito. Algumas destas técnicas usadas nestes métodos auxiliares são realizadas sem qualquer indicação médica e, muitas vezes, por pessoas sem preparo e sem qualquer competência para tanto (há massagistas em clínicas de beleza ou em academias de ginástica que se habilitam a fazer isso, que absurdo!). Ousam fazer o que não podem nem sabem, colocando em risco um tratamento que seria, de outra forma, fácil e eficaz se realizado corretamente.

É bastante comum que doentes se dirijam a estes profissionais sem o esclarecimento de seu diagnóstico e, o que é pior, realizando tratamentos já sabidamente ineficazes e até causadores de danos como é o caso de trações vertebrais, manipulações, quiropraxias e outras terapias alternativas.

Com relação ao que serve e ao que não serve nos tratamentos das dores e patologias da coluna, já existem consensos, protocolos definidos e aplicados em centros sérios e respeitáveis, sem a necessidade de recorrer às múltiplas novidades e modismos. A segurança de qualquer tratamento está no respeito a estes princípios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário