quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Analgésicos já matam mais mulheres que os acidentes de carro nos EUA


Comumente quando nos referimos ao termo “abuso de drogas” nos vem à mente o uso de drogas de rua como o crack, a cocaína e a maconha, entretanto, recentemente foi noticiado o aumento número de indivíduos que abusam de drogas prescritas. Em 2007, 2,5 milhões de americanos abusaram de drogas prescritas pela primeira vez, comparados com os 2,1 milhões que consumiram marijuana pela primeira vez.

Recentemente foi noticiado pelo Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) americano que “as mulheres norte-americanas estão morrendo por overdose de analgésicos controlados a um ritmo alarmante”. Em 1999, 1.287 mulheres faleceram pelo uso de analgésicos controlados, já em 2010, 6.631 mulheres morreram devido ao consumo de remédios como Vicodin e Oxycontin. Embora mais homens morram todos os anos por overdose destes analgésicos que mulheres, a taxa de crescimento é muito maior entre elas (aumento de 151%) do que entre eles (crescimento de 85% entre 1999 e 2010), totalizando mais de 40 mil mulheres mortas entre 1999 e 2010.

Sabe-se que as overdoses por medicamentos matam mais mulheres que acidentes de carro, que as falecidas por consumo de heroína e cocaína juntas, e as mulheres com a faixa etária entre 18 e 54 anos são as mais com maior risco. Estudiosos apontam que o principal motivo do aumento das mortes por overdose pode ser o fato de as mulheres sentirem dores crônicas com mais frequência do que os homens e se tornarem dependentes destes remédios mais rapidamente do que eles. No entanto, será que as mulheres estão morrendo mais de overdose de medicamentos porque elas se automedicam com mais frequência ou será que os médicos estão prescrevendo esses fármacos de maneira incorreta?



Autor: Dênis Augusto Santana Reis

Nenhum comentário:

Postar um comentário