quinta-feira, 9 de maio de 2013

DORES DA COLUNA: MANUAL DO PROPRIETÁRIO

Diante de uma dor da coluna, muitos serão os tratamentos oferecidos, mas, infelizmente, muito do que lhe é oferecido não lhe trará qualquer benefício, podendo até levá-lo a caminhos perigosos.  Diante desta encruzilhada, algumas regras podem ajudar na escolha correta, na escolha daquilo que realmente trará algum benefício para você.

Regra 1: As dores na coluna costumam ser autolimitadas, com resolução natural em 2 semanas em mais de 60% dos pacientes e em 6 semans em mais de 95% dos pacientes.
 
Regra 2: Use remédios apenas sob prescrição médica, evitando a automedicação. Se as dores forem insurpotáveis, vá idealmente a um médico especialista, evitando a repetição de atendimentos nas urgências hospitalares, onde se usa apenas remédio para alívio sintomático e mascaramento da dor, sem resolver realmente a causa das dores. 
 
Regra 3: Estando com dores da coluna, procure, na medida do possível, manter suas atividades, evitando repouso absoluto, pois o repouso é pior que a atividade.
 
Regra 4: Evite fazer qualquer tipo de fisioterapia para dores da coluna, pois diversos estudos mostram que não há qualquer vantagem real em recorrer a estes métodos como forma de alívio de dores agudas ou crônicas, e sua realização pode, mais provavelmente, trazer piora em relação ao que ocorreria se nada fosse feito. Como sabemos, na regra 1, grande parte das dores tem uma regressão natural e muito da melhora que se obtém enquanto se faz fisioterapia é devida ao processo natural, não à fisioterapia. De fato, se cerca de 95% dos pacientes melhoram de forma natural, com a realização de fisioterapias, por outro lado, a prática mostra que este índice cai para cerca de 80%. Ou seja, de fato, não se melhorou 80%, mas se piorou 15%. É uma sutileza que deve ser conhecida.
 
Regra 5: Evite técnicas alternativas que não estão validadas pela medicina científica, como quiropraxia, diversas formas de osteopatia, manipulações espinhais e trações vertebrais, pois estudos já mostraram a sua ineficácia e em algumas técnicas pode haver graves danos aos pacientes, pela aplicação de técnicas arcáicas que encontram apoio em teorias do século 18, quando se pensava em fluxo energético vital, magnetismo mágico e outras ideias incompatíveis com nossos conhecimentos científicos atuais.
 
Regra 6: Mesmo se a dor for suportável, procure um médico especialista em coluna se as dores persistirem mais de 15 dias, pois, nestes casos, pode ser necessária a realização de exames para uma melhor investigação. Devem ser descartadas causas potencialmente graves de  dores antes de prosseguir em tratamento.
 
Regra 7: Saiba que os exercícios para reforço abdominal, embora muito comumente ofertados como forma de melhorar os resultados de tratamentos nos pacientes que sentem dores na coluna através do reforço de musculatura regional, não mostram qualquer relação com a melhora destes pacientes. 
 
Regra 8: Como a dor da coluna costuma ser uma consequência imediata de um quadro inflamatório regional, não há vanatagem na realização de exercícios até que se tenha o controle deste quadro inflamatório. Tal como as fisioterapias motoras, exercícios como Pilates ou outros nomes da moda não trazem nenhuma vantagem para pacientes com lombalgia. Uma lombalgia ou melhora pela resolução através de um processo natural ou através de intevenções médicamentosas para controle direto da inflamação. 
 
Regra 9: Saiba que as cirurgias são indicações raras em pacientes que apresentam dores na coluna e, de fato, não se indica cirurgia para a dor em si, mas para a resolver seja um quadro tumoral, infeccioso ou traumático, para resolver um fator mecânico relacionado ao avanço de um processo degenerativo como instabilidades, compressões ou deformidades. De fato, as cirurgias não são indicadas para dores. 
 
Regra 10: Como regra, só há dor se houver inflamação como causa imediata e circunstancial. É esta causa inflamatória de deve ser tratada se quisermos agir diretamente sobre a dor, e em muitos casos, além de agir sobre a inflamação temos que agir sobre eventuais lesões em nervos regionais através de terapias antineuropáticas medicamentosas específicas.
 
 
Seguindo estas 10 regras, é mais fácil chegar com segurança à solução do seu problema.



Dr Henrique da Mota, MD, AFSA (Université de Lyon - França)
Centro Médico da Coluna Vertebral
Torre Saúde São Mateus
Av. Santos Dumont, 5753, Sala 206
Fortaleza - Ceará - Brasil
Fone/Fax: (85) 3265 8300 e (85) 3242 9263

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário