sábado, 14 de maio de 2011

DORES DA COLUNA VERTEBRAL: PRA QUEM SÓ TEM MARTELO,TODO PROBLEMA É PREGO!

Estas semana três casos chamaram a minha atenção. Trata-se de um problema que está se tornando cada vez mais comum. Três pacientes com doenças graves, sendo tratados por métodos inapropriados por não terem feito uma avaliação médica diagnóstica correta.

Eram casos que, pela avaliação médica especializada rotineira, já se mostravam com fortes indícios de patologias graves, mas pela imcompetência de profissionais não-médicos, que não estão habilitados a definir um diagnóstico diferencial e teimam em levar tudo para aspectos mecânicos mais superficiais, os casos se complicaram.

Um paciente sendo tratado com tração, com diagnóstico de um mieloma múltiplo em vários corpos vertebrais, um outro com uma fratura patológica sendo submetido a manobras de quiropraxia e uma terceira fazendo Pilates, tendo uma aracnoidite infecciosa.

Sabe-se que menos de 5% dos casos de dores na coluna vertebral estão relacionados a alguma patologia grave ou potencialmente grave, mas que existem, existem! Não podem ser esquecidos. É como sempre digo: ignorar um fato não faz com que ele desapareça.

É contra estes riscos reais que sempre faço críticas assertivas aos profissionais não-médicos que, por caminhos tortos querem exercer ilegalmente a medicina, ou atuam sorrateiramente em uma interface que confunde a clientela, fazendo cursos não-médicos de saúde, mas julgando-se equiparáveis por total presunção e alienação, pondo em risco a saúde das pessoas.

Isto é um fenômeno que se expande no Brasil, ao contrário dos países europeus, onde existem regras mais rígidas, como aquelas que serão em breve instituídas pela Lei do Ato Médico, que colocará novamente rédeas curtas e limitantes aos invencionismos atuais. 

Dr Henrique da Mota, MD, AFSA
Ortopedia e Cirurgia da Coluna Vertebral
Especialista pela Université de Lyon - França

Nenhum comentário:

Postar um comentário