quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

HÉRNIA DE DISCO: NOVAS ESTRATÉGIAS DE TRATAMENTO GARANTEM EXCELENTES RESULTADOS SEM AFASTAMENTO DO TRABALHO


O sofrimento imposto pelo quadro agudo de uma hérnia de disco leva a atitudes desesperadas. Vários pacientes desejam realizar a cirurgia como forma mágica de aliviar suas dores.

De fato, a intervenção cirúrgica costuma trazer um alívio imediato e total das dores, mas há outras formas que podem trazer alívio imediato sem cirurgia. Estamos falando de técnicas intervencionistas de bloqueio analgésico, unitários ou seriados, de acordo com a gravidade.

Estes procedimentos, realizados com auxílio de modernos aparelhos de imagem computadorizada de radioscopia ou tomografia, atuam com muita precisão nos pontos de inflamação, pondo fim à dor, enquanto o processo reparativo de faz naturalmente, com controle da hérnia de disco. Recomendamos aos pacientes, muita calma nessa hora decisiva.

As figuras acima apresentam o caso de uma paciente do Centro Médico da Coluna Vertebral, que é acompanhada desde 2007, quando iniciou um quadro de dores lombares baixas. No primeiro momento, em 2007, decidimos pela simples realização de medicamentos, com alívio total de sua dores até 2009, quando desenvolveu uma grande hérnia no espaço L5/S1. Tratada com uma Neuroporação, teve o controle total de seu quadro em L5/S1. Em 2010, teve novo episódio de dor, em um território diferente. Fez um novo exame, e mostrou uma hérnia que se desenvolvia em L4/L5, com resolução do quadro em L5/S1. Fez uma nova Neuroporação com controle total  de dores por 1 ano. Em 2011, apresentou novas dores, que tem relação com o processo final da patologia do segmento L4/L5 e será submetida a uma nova Neuroporação para novo controle, e facilitação de regressão da hérnia L4/L5. Note que a hérnia L5/S1 desapareceu completamente.

Esta nova estratégia é de exterma importância, pois os pacientes que chegam com quadros de dores, fazem a Neuroporação, tem uma resolução em poucas horas, não se afastando de suas atividades de trabalho. Caso seja indicada uma cirurgia, esses pacientes costumam ficar afastado por cerca de 2 meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário