segunda-feira, 16 de agosto de 2010

NEUROPORAÇÃO EVITA CIRURGIA DE HÉRNIA DE DISCO E CONTRIBUI PARA SUA REGRESSÃO

As hérnias de disco são problemas muito comuns e representam, atualmente, uma das grandes indicações de cirurgias em doenças da coluna, trazendo muito sofrimento para os pacientes. A experiência tem mostrado que existe a capacidade de regressão biológica das dimensões das hérnias de disco. Com o método na NEUROPORAÇÃO, utilizamos esta capacidade biológica para tratar a hérnia de disco sem precisar retirá-la por meios agressivos.

Na primeira figura ao lado, vemos o caso de uma paciente do sexo feminino, de 42 anos, que sofria de fortes dores lombares irradiadas para o seu membro inferior direito que não melhoravam com a realização de métodos de fisioterapia e medicamentos antiinflamatórios, corretamente aplicados em outro serviço. A ressonância magnética mostra uma grande hérnia de disco no segmento entre a quinta vértebra lombar e o sacro, com compressão de raízes nervosas. Diante daquela situação, a paciente teve indicado um método para controle de inflamações regionais que teria dois objetivos: aliviar as dores de forma imediata e contribuir para a regressão biológica da hérnia de disco, evitando qualquer necessidade de tratamentos cirúrgicos agressivos.

Assim foi feito. Um ano após o procedimento a paciente veio para controle, com uma regressão importante da hérnia do segmento de L5/S1, sem anecessidade de cirurgias agressivas.

Comentário: com a NEUROPORAÇÃO, estamos tratando com sucesso impressionante casos de graves hérnias de disco, conseguindo provar a existência de regressão de volume com exames de imagens sucessivos. Isto representa um grande avanço para o tratamento das doenças da coluna, pois podemos oferecer aos pacientes uma método altamente resolutivo, que produz alívio imediato, feito de ma forma ambulatorial, que promove seu rápido retorno ao trabalho. Por estas características representa o tratamento ideal nas hérnias de disco, tornando ultrapassados a totalidade dos métodos atualmente oferecidos aos pacientes com estes problemas.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir