segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

CASOS DE DESAPARECIMENTO ESPONTÂNEO DE HÉRNIA DE DISCO

O QUADRO DE DESAPARECIMENTO ESPONTÂNEO DE HÉRNIA É FATO COMUM, O QUE NOS LEVA A EVITAR AS CIRURGIAS DE HÉRNIAS NA GRANDE MAIORIA DAS VEZES.

VEJA ALGUMAS FOTOS ANTES E DEPOIS DO DESAPARECIMENTO ESPONTÂNEO DE UMA HÉRNIA LOMBAR:



O PROBLEMA A SER REALMENTE A SER TRATADO NÃO É A HÉRNIA MAS O QUE O QUADRO INFLAMATÓRIO CONSEQUENTE PODE CAUSAR NOS NERVOS DA REGIÃO.


TRATAMENTO EFICAZ DAS DORES DA COLUNA: 10 REGRAS PARA UM CAMINHO SEGURO!

Diante de uma dor da coluna, muitos serão os tratamentos oferecidos, mas, infelizmente, muito do que lhe é oferecido não lhe trará qualquer benefício, podendo até levá-lo a caminhos perigosos, como cirurgias desnecessárias.  Diante desta encruzilhada, algumas regras podem ajudar na escolha correta daquilo que realmente trará algum benefício para você.

Regra 1: As dores na coluna costumam ser autolimitadas, com resolução natural em 2 semanas em cerca de 70% dos pacientes e em 6 semanas em até 95% dos pacientes.
 
Regra 2: Use remédios apenas sob prescrição médica, evitando a automedicação. Se as dores forem insurpotáveis, vá idealmente a um médico especialista, evitando a repetição de atendimentos nas urgências hospitalares, onde são usados apenas remédio para alívio sintomático e mascaramento da dor, sem resolver a causa real das dores. 
 
Regra 3: Estando com dores da coluna, procure, na medida do possível, manter suas atividades, evitando repouso absoluto, pois o repouso é pior que a atividade.
 
Regra 4: Evite fazer qualquer tipo de fisioterapia para dores da coluna, pois diversos estudos mostram que não há qualquer vantagem real em recorrer a estes métodos como forma de alívio de dores agudas ou crônicas, e sua realização pode, mais provavelmente, trazer piora em relação ao que ocorreria se nada fosse feito. Como sabemos, na regra 1, grande parte das dores tem uma regressão natural e muito da melhora que se obtém enquanto se faz fisioterapia é devida ao processo natural, não à fisioterapia em si. De fato, se cerca de 95% dos pacientes melhoram de forma natural, mas com a realização de fisioterapias, por outro lado, a prática mostra que este índice cai para menos de 80%. Ou seja, de fato, não se melhorou nada com a fisioterapia, havendo uma piora de mais de 15% dos pacientes. É uma sutileza que deve ser conhecida para que não se faça uma terapia inútil e até prejudicial.
 
Regra 5: Evite técnicas alternativas que não estão validadas pela medicina científica, como quiropraxia, diversas formas de osteopatia, manipulações espinhais e trações vertebrais, pois estudos já mostraram a sua ineficácia e em algumas técnicas pode haver graves danos aos pacientes, pela aplicação de técnicas arcaicas que encontram apoio em teorias do século 18, quando se pensava em fluxo energético vital, magnetismo mágico e outras ideias incompatíveis com o bom senso e com nossos conhecimentos científicos atuais.
 
Regra 6: Mesmo que a dor seja suportável, procure um médico especialista em coluna se as dores persistirem mais de 15 dias, pois, nestes casos, pode ser necessária a realização de exames para uma melhor investigação. Devem ser descartadas causas potencialmente graves de dores antes de prosseguir com qualquer tratamento.
 
Regra 7: Saiba que os exercícios para reforço abdominal, embora muito comumente ofertados como forma de melhorar os resultados de pacientes que sentem dores na coluna, através do reforço de musculatura regional, não mostram, na verdade, qualquer relação com a melhora das dores destes pacientes. Voltando à regra 1, sabe-se que a maioria das melhoras é por um processo natural, sem qualquer auxílio real dos exercícios. 
 
Regra 8: Como a dor da coluna costuma ser uma consequência imediata de um quadro inflamatório regional, não há vantagem na realização de exercícios até que se tenha o controle deste quadro inflamatório. Tal como as fisioterapias motoras, exercícios como Pilates ou outros nomes da moda não trazem nenhuma vantagem para pacientes com lombalgia. Uma lombalgia ou (1) melhora pela resolução através de um processo natural ou (2) através de intervenções medicamentosas para controle direto da inflamação. Grande parte dos métodos ofertados e propagados no tratamento das lombalgias é totalmente inútil.
 
Regra 9: Saiba que as cirurgias são indicações raras em pacientes que apresentam dores na coluna e, de fato, não se indica cirurgia para a dor em si, mas para a resolver um quadro tumoral, infeccioso ou traumático, ou para resolver um fator mecânico relacionado ao avanço de um processo degenerativo como instabilidades, compressões ou deformidades. De fato, as cirurgias não são indicadas para dores. Isto não faz sentido 
 
Regra 10: Como regra, só há dor se houver inflamação como causa imediata e circunstancial. É esta causa inflamatória de deve ser tratada se quisermos agir diretamente sobre a dor, e em muitos casos, além de agir sobre a inflamação temos que agir sobre eventuais lesões em nervos regionais através de terapias antineuropáticas medicamentosas específicas.
 
 
Seguindo estas 10 regras, é mais fácil chegar com segurança à solução do seu problema.



Dr Henrique da Mota, MD, AFSA (Université de Lyon - França)


Centro Médico da Coluna Vertebral
Torre Saúde São Mateus
Av. Santos Dumont, 5753, Sala 206
Fortaleza - Ceará - Brasil
Fone/Fax: (85) 3265 8300 e (85) 3242 9263

quinta-feira, 24 de julho de 2014

LIVRO COM COAUTORIA DO DR HENRIQUE DA MOTA É PUBLICADO PELA EDITORA GUANABARA


A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) oferece, por meio da Comissão de Educação Continuada (CEC), mais uma obra cujo conteúdo é fundamental para os ortopedistas: Doenças Degenerativas da Coluna.
 
Estudo e atualização são a base da educação continuada, e esta obra, que reflete a expertisebrasileira, atende a essas metas.

O livro tem seus capítulos escritos pelas maiores autoridades brasileiras em suas respectivas áreas e traz capítulo de autoria do Dr Henrique da Mota, sobre biomecânica do equilíbrio sagital.

Este livro da série "Clínica Ortopédica da SBOT" é referência indispensável para os médicos que tratam das doenças degenerativas da coluna e apresenta as evidências e diretrizes para uma ação efetiva dos especialistas.

Seguem, abaixo, os capítulos do livro:

  1. Disco Intervertebral Normal e Degenerado
  2. Bases Genéticas da Degeneração Discal
  3. Diagnóstico por Imagem na Doença Degenerativa da Coluna Vertebral
  4. O Equilíbrio Sagital da Coluna Vertebral nas Doenças Degenerativas
  5. Mielopatia Espondilótica Cervical
  6. Tratamento Conservador da Doença Degenerativa Discal
  7. Tratamento Cirúrgico da Doença Discal Degenerativa
  8. Hérnia de Disco Lombar
  9. Cirurgia Minimamente Invasiva na Doença Degenerativa da Coluna Lombar
  10. Espondilolistese Degenerativa – Técnicas Convencionais e Modernas
  11. Estenose do Canal Lombar
  12. Artroplastias da Coluna Vertebral
  13. Fixação Dinâmica e Espaçadores Interespinhosos
  14. Escoliose Degenerativa
  15. Evidências Científicas e Diretrizes
ISBN: 9788527717021
Autor: SBOT
Selo Editorial: EGK
Acabamento: Cartonado
Formato: 17 x 24
Edição: 1|2011
Número de páginas: 156
Peso: 0.51 kg
Preço: R$ 125,00
Onde Comprar

quarta-feira, 9 de julho de 2014

MÉTODO TERAPÊUTICO QUE EVITA CIRURGIAS DE COLUNA É PATENTEADO POR MÉDICO BRASILEIRO



O Centro Médico da Coluna Vertebral, através da atividade clínica e científica do Dr Henrique da Mota tem revolucionado a terapêutica diante das dores e degenerações da coluna vertebral.

Os dados clínicos do Dr Henrique da Mota, que inicialmente foram estudados e que serviram a diversas teses de mestrado e doutorado na Universidade Federal do Ceará, ultrapassaram fronteiras e hoje são estudados por especialistas em todo o mundo.

Universidades Europeias e da América do Norte realizam trabalhos baseado em seus dados clínicos, e o grande sucesso de seus trabalhos levou à necessidade de criação de registro de marcas e patentes por parte do Centro Médico da Coluna Vertebral.

Hoje, o CMCV tem a patente de métodos terapêuticos e registro de métodos diagnósticos que constituem um sistema completo de abordagem chamado SinPatCo®.

NEUROPORAÇÃO CONTROLA DOR EM ESPONDILOSE LOMBAR AVANÇADA


Este é o caso de um paciente de 50 anos com um caso de avançada espondilose na região lombar e toracolombar, com intensas dores havia mais de 2 anos. Chegou à Fortaleza com um quadro de grande limitação, sendo obrigado ao uso contínuo de muletas para possibilitar uma marcha bastante limitada.

Diante de uma avançado grau de degeneração, do ponto de vista cirúrgico seria indicada a realização de uma grande reconstrução com fixação, mas, antes de partirmos para um tratamento mais radical, fizemos uma NEUROPORAÇÃO para um rápido alívio sintomático e para possibilitar uma plena reabilitação funcional. O paciente teve um alívio total de suas dores e aguradaremos a conclusão do tratamento de reeducação funcional para a tomada de nova conduta. Muitos pacientes, felizmente, após a reabilitação, não tem a necessidade de cirurgia e são plenamente tratados com NEUROPORAÇÃO.

Comentários: é muito comum em nosso serviço, a avaliação de casos graves de doenças degenerativas da coluna, onde existe destruição da anatomia normal. Podemos, nestes casos, adotar a seguinte conduta: iniciarmos a terapia com uma abordagem FUNCIONAL, onde usamos o princípio de controle da inflamação da NEUROPORAÇÃO, que tem produzido resultados altamente satisfatórios. Caso peristam os sintomas, avaliamos a possível existência de anormalidades mecânicas de instabilidade para um planejamento de cirurgia de estabilização. Para o estudo das instabilidades, usamos exames dinâmicos computadorizados de alta precisão.

Centro Médico da Coluna Vertebral
Torre Saúde São Mateus
Av. Santos Dumont, 5753, Sala 206
Fortaleza - Ceará - Brasil
Fone/Fax: (85) 3265 8300 e (85) 3242 9263

terça-feira, 8 de julho de 2014

NEUROPORAÇÃO MOSTRA EXCELENTES RESULTADOS NO TRATAMENTO DE HÉRNIAS DE GRANDE VOLUME, QUE ANTES ERAM TRATADAS COM CIRURGIAS AGRESSIVAS


A NEUROPORAÇÃO é uma técnica intervencionista desenvolvida e realizada pelo Dr Henrique da Mota, no Centro Médico da Coluna Vertebral, em Fortaleza. Tem sido aplicada com sucesso em uma ampla diversidade de patologias causadoras de dores na coluna, e representa um grande avanço no tratamento das dores inflamatórias e neuropáticas agudas e crônicas da coluna cervical, torácica e lombar. 

Este procedimento tem sido realizado com boa frequência em nosso serviço com grande sucesso em paciente de todo o país e do exterior. Um dos problemas mais tratados é o das grandes dores lombares e ciáticas causadas por grandes hérnias lombares. Nestes casos a Neuroporação tem trazido alívio importante e imediato na grande maioria dos pacientes, fazendo com que mais de 95 % dos pacientes que antes teriam indicação de cirurgias sejam tratados por um método ambulatorial que traz retorno rápido às atividades, sem os riscos de um procedimento maior.

Marque uma consulta no Centro Médico da Coluna Vertebral e saiba de você tem indicação para a realização de moderno procedimento. 



CENTRO MÉDICO DA COLUNA VERTEBRAL

ATENDIMENTO EM CONSULTÓRIO
Torre de Saúde São Mateus
Av. Santos Dumont, 5753, sala 206
Fortaleza - Ceará - Brasil 
Telefone 55 (85) 3265 8300/ 3265 8301